A disciplina definida


bannerNesse artigo comentaremos as principais razões que levam a igreja ao exercício de uma disciplina bíblica. A partir de uma definição concisa, analisaremos as implicações mais importantes para a Igreja quanto a esse assunto.

A disciplina eclesiástica é toda atividade da igreja que busca corrigir a prática de pecado em sua vida ou na de seus membros1. Portanto, seu principal objetivo é a correção. Além disso, ela busca levar a membresia local à conformidade aos mandamentos de Cristo. A razão de ser da disciplina é a própria natureza da Igreja: ela é a noiva de Cristo e será apresentada a ele santa e irrepreensível, conforme escreveu o Apóstolo Paulo aos efésios:

Leia mais deste post

Anúncios

Discernindo os tempos: uma geração que rejeita a disciplina


banner

“É notável que quando a disciplina sai da Igreja, Jesus vai junto com ela” – J. L. Dagg

No artigo Um tabu infernal: quando a ideologia suplanta a Bíblia, ressaltei o grande prejuízo que a mentalidade da nossa geração tem trazido ao ministério da pregação. Isso se dá pela maneira como parte da Igreja vê esse ofício atualmente. Cercados que estamos por um público que tem “coceira nos ouvidos” (2 Tm 4:3-4), a pregação é pressionada a reproduzir conceitos meramente humanos (psicologia secular2, ideologias políticas, pós-modernismo) a fim de omitir o escândalo do evangelho para um tempo que não suporta ouvir a verdade. Como exemplo principal, abordei o fato das preleções sobre o entendimento bíblico do inferno ser praticamente um tema extinto nos púlpitos modernos. Leia mais deste post

Justificação pela fé: o legado da Reforma Protestante. Pra quem?


FIDE

“Tendo sido, pois, justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo; Pelo qual também temos entrada pela fé a esta graça, na qual estamos firmes, e nos gloriamos na esperança da glória de Deus” (Romanos 5:1-2)

O assunto da justificação pela fé é um dos pilares do cristianismo, sem o qual a fé cristã não pode se sustentar. Ela é o coração do Evangelho. A descoberta desse assunto, escondido por séculos de domínio da teologia católica a respeito da salvação, selou a Reforma Protestante com Lutero e trouxe à luz preciosas verdades a respeito da salvação do pecador, sem as quais nenhuma esperança de reconciliação com Deus vinga. Olhando para a história, a justificação pelas obras apenas gerou medo, insegurança e religiosidade nos crentes.

Contudo, apesar de quase 500 anos após Lutero pendurar suas 95 teses na porta da igreja de Winttenberg, esse assunto ainda soa muito estranho aos cristãos de nossa era, de forma que alguns chegam a rejeitar a justificação pela fé somente. Leia mais deste post

Evolucionismo versus Criacionismo


Estudo sobre variação genética da Science confirma história do Dilúvio


“E, de um só, fez toda a geração dos homens, para habitar sobre toda a face da terra, determinando os tempos já dantes ordenados, e os limites da sua habitação;“
Actos 17:26

Cada pessoa existente é distinta da outra, e, exceptuando os gémeos idênticos, cada uma possui um ADN único. Estas diferenças podem ser identificadas através das populações globais e grupos étnicos. Para além disso, pesquisas recentes fornecem perspectivas interessantes em torno do momento em que estas distinções do ADN entraram na raça humana.

Um novo estudo reportado na revista Science alargou o nosso conhecimento em torno das raras variações associadas com as regiões genéticas no genoma humano.1 Aplicando aos dados um modelo com base demográfica, os pesquisadores descobriram que o genoma humano deu início à sua diversificação actual há aproximadamente 5,000 anos atrás. Surpreendentemente, esta data encontra-se muito próxima da data Bíblica em torno da diversificação acelerada dos humanos depois do Dilúvio. Leia mais deste post

Redescobrindo o Jesus Histórico: As evidências a favor de Jesus


Tradução: Djair Dias Filho

Cinco razões são apresentados para se pensar que críticos que aceitam a credibilidade histórica dos relatos sobre Jesus, no Evangelho, não possuem um especial ônus da prova relativo aos críticos mais céticos. Em seguida, a historicidade de alguns aspectos específicos da vida de Jesus é abordada, incluindo Seu próprio conceito radical de ser o divino Filho de Deus, Seu papel como realizador de milagres e Sua ressurreição dentre os mortos.

No último texto, vimos que os documentos do Novo Testamento são as fontes históricas mais importantes para Jesus de Nazaré. Os chamados evangelhos apócrifos são falsificações que surgiram muito depois e são, na maior parte, elaborações a partir dos Quatro Evangelhos do Novo Testamento.

Isso não significa que não existem fontes além da Bíblia que se referem a Jesus. Existem. Faz-se referência a Ele em escritos pagãos, judaicos e cristãos, todos fora do Novo Testamento. O historiador judeu Josefo é especialmente interessante. Leia mais deste post

Entrevista com Marcos Eberlin sobre design inteligente


Ele acaba de ser indicado para ganhar a medalha BrMASS 2011.

É um verdadeiro pioneiro da espectrometria de massas moderna no Brasil.

É Professor Titular do Instituto de Química da UNICAMP.

O laboratório ThoMSon, criado por ele, é referência nacional e internacional de espectrometria de massas.

A produção científica dele é fenomenal em quantidade (> 460 publicações) e qualidade.

Orientou e orienta um grande numero de pesquisadores que admiram a sua capacidade científica e amizade.

E é o autor do livro “Fomos Planejados: A maior descoberta científica de todos os tempos!”. O livro é uma obra que aborda a questão maior de todos os tempos: a origem do Universo e da Vida.

Então, só poderia correr atrás de uma entrevista exclusiva com o Prof. Dr. Marcos Eberlin acerca da evolução química da vida.

Aqui está ela. Leia mais deste post

%d blogueiros gostam disto: