A mãe de todas as heresias


HMA Bíblia é clara ao relatar a preocupação dos apóstolos com a introdução de heresias no meio do corpo de Cristo, recém formado àquela altura.

Não era pra menos, haja vista a grande diversidade religiosa e filosófica imperante naquele período – o que não é diferente hoje. Um pequeno descuido e o cristianismo primitivo se confundiria com mais uma das tantas religiões existentes, ou seria visto como mais uma corrente filosófica, podendo fazer frente às escolas gregas.

Não foi em vão que o apóstolo Paulo tratou de rechaçar qualquer possibilidade do cristianismo descambar para esse lado. Ele é diferente. Ele não consiste em demonstração de sabedoria humana, mas em poder, poder de Deus, demonstrado na cruz tendo como crucificado o Filho de Deus, sendo ele autor da nossa salvação.

É óbvio que isso seria, de imediato, considerado loucura para os gregos – montados na falha razão humana – e escândalo para os judeus, que esperavam um Messias vingador e poderoso, e não um morto por crucificação.

Mesmo diante desse cenário, os apóstolos não se esquivaram da responsabilidade de manter a mensagem evangélica pura das influências de seu tempo. Afinal, o que tem o cristianismo de tão peculiar de forma que não admite mistura em sua mensagem? É justamente a graça.

A justificação pela fé, por meio da graça, é o grande pilar da fé evangélica, o que exclui qualquer participação ou contribuição humana no processo de salvação do homem e sua justificação diante de Deus.

Contudo, seu oposto, isto é, o mérito humano e a concepção de que ele é o grande responsável por viabilizar um relacionamento com Deus, é a base de todas outras religiões, desde sempre. Já na época dos apóstolos já se concebia isso, mesmo em berço judaico.

Por isso a preocupação apostólica com um tema tão relevante para a manutenção da fé cristã. Admitir o mérito humano seria negar as palavras de Jesus quanto a salvação do homem.

De igual modo, nós devemos manter pura a nossa fé da tentação diabólica de querer acrescentar à obra de Cristo a nossa justiça, considerada por Deus como trapo – Isaias 64. Não apenas isso, devemos manter a pregação evangélica livre do legalismo, a fim de que não ela não seja como mais uma dentre tantas religiões a pregar a maior heresia possível, a mãe de todas heresias, que diz que o homem é a solução para seu próprio caos.

Que o Senhor nos ajude nisso, pois não são fáceis os dias da igreja, tão assediada por Satanás. Seu objetivo é tornar cada um cristão em um apóstata, e a justificação pela fé somente uma doutrina estranha, mais do que já é para muitos ditos cristãos, para lamento nosso.

Tiago

Anúncios

Sobre Blog do Lino
Sou filho de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: