Comentários em 1 Pedro 1:1-9 – A fé que glorifica a Deus


Versículo 6

“no qual exultais, ainda que agora por um pouco de tempo, sendo necessário, estejais contristados por várias provações”

De inicio, vemos que a alegria do cristão não está condicionada às circunstâncias de sua vida. Na verdade, a fonte dela é a salvação ofertada por Jesus gratuitamente ao sofrer a penalidade que nossos pecados merecem.

Por isso, a característica marcante de um salvo é sua alegria. Uma vez que ele experimentou o amor de Deus, derramado em seu coração pelo Espírito Santo e manifestado no fato de Cristo ter morrido “sendo nós ainda pecadores”, o gozo resultante dessa experiência é inevitável.

O sofrimento pode vir, e virá, mas ele não pode minar a esperança do crente. Caso isso aconteça, podemos concluir facilmente que tal irmão não está devidamente apoiado na Esperança que inunda nossos corações, mas naquilo que seus olhos veem. Isso é prejudicial e pode levar o filho de Deus a um estado de angústia injustificada.

Aprendamos com os irmãos da Dispersão, conforme Pedro testemunha, que estavam exultantes apesar da perseguição e das incertezas da vida. Exercite sua fé, meu irmão. Confie no amor de Deus e no seu chamado eficaz. Seus decretos não podem ser frustrados. Se ele, de fato, te trouxe à luz, então você pode seguramente descansar em sua doce providência, independente das privações a que estejas submetido.

Versículo 7

“para que a prova da vossa fé, mais preciosa do que o ouro que perece, embora provado pelo fogo, redunde para louvor, glória e honra na revelação de Jesus Cristo”

Certamente Deus prova nossa fé. Somos confrontados por Ele para que a simplicidade e a sinceridade dela sejam comprovadas. Deus não admite uma profissão vazia e ignorante, antes sólida e bíblica para que, como Paulo, possamos dizer: “eu sei em quem tenho crido”.

Uma das grandes marcas do nosso tempo é a superficialidade. Muito facilmente vemos irmãos nossos caindo da graça porque não são como a semente que foi lançada em terra fértil ou como a casa apoiada sobre a rocha. Estes, para nossa tristeza, assumem posturas que mostram quão vazia e infantil foi a decisão que tomaram por Cristo. Na verdade, nunca o conheceram.

Contudo, há os que tem a sua fé confirmada. Estes permanecem inabaláveis diante das adversidades e louvam a Deus pelo vigor dela. Sempre foi assim na caminhada da Igreja militante. Dos mártires aos que sofrem algum tipo de privação por seguir a Jesus, nós somos instruídos e consolados quanto à certeza de que Deus nos segura pela mão, mesmo que a morte seja a última consequência. Na verdade, o salvo por Cristo é uma pessoa que deixa de colocar aqui e somente aqui sua esperança de vida. Ele sabe que somente na eternidade que seus sofrimentos e lágrimas cessarão e que tudo o que passar aqui não se pode comparar com a glória que lhe será revelada.

Meu caro irmão, não ignore as lições que estes nobres santos nos deixaram com seu vigor e esperança; com a força de sua fé em meio às provações; com a alegria com que caminharam em direção à glória e como glorificaram a Deus por isso. Nenhuma expressão verbal e pública de glorificação pode honrar tanto a Deus quanto a beleza do testemunho de alguém que encontrou tudo em Jesus e vive para isso. Sigamos este exemplo!

m(� ,ap �o7 idealizadores a abandonarem. Finalmente, a certeza de que estamos guardados em Deus vem dele mesmo. Se confiarmos à nossa disposição espiritual, capacidade de amar ou de nos desviarmos do pecado, andaremos angustiados e temerosos quanto à nossa salvação. Contudo, quando olhamos para cruz, quando entendemos que nossa salvação está “consumada” Jo 19:30 e que ela não vem de nós, mas de Deus (Efésios 2:9), logo somos impelidos a nos render e gratidão pela certeza do quão fiel é O que nos chamou das trevas para sua luz.

Voltando ao contexto dessa passagem, podemos compreender quão consolador foi para os irmãos dispersos lerem ou ouvirem que estavam inseridos numa esperança vida e eficaz, sendo esta reservada nos céus e poderosa para nos guardar até o dia de Jesus. Ela é igualmente consoladora para nós.

Não permita que a dúvida se instale em seu coração e destrua sua fé. Você não tem de pôr em dúvida sua salvação. Você tem de pôr em dúvida se você experimentou o novo nascimento. Se o testemunho do Espírito Santo de que és filho de Deus selou o teu coração, então descansar na fidelidade de Deus nada mais é do que resultado da obra de Cristo. É natural que regojizemo-nos em Deus por sua providência.

LEIA a Série completa AQUI

Anúncios

Sobre Blog do Lino
Sou filho de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: