A Escritura jamais pode falhar – Por J. C. Ryle


Como quem conclama soldados à guerra, Ryle exorta cristãos à defesa da inspiração da Bíblia. Atitude essa urgente em dias de tão desprezo à Escritura. 

Devemos observar também, nesses versículos, a sublime honra que o Senhor Jesus deu às Escrituras. Nós O vemos citando um texto dos Salmos como um argumento contra seus inimigos; na citação, todo o argumento se concentra na simples palavra “deuses”. E, após utilizar o texto de Salmos, Jesus enunciou o grande principio: “Tudo o que a Bíblia fala com clareza sobre algum assunto não deixa dúvidas sobre ele. O caso é resolvido e o ensino, estabelecido. Todo ‘i’ e ‘till’ das Escrituras são verdadeiros e tem de ser recebidos como conclusivos”.

O principio delineado por nosso Senhor, neste incidente, possui vasta importância. Devemos assimilá-lo com firmeza em nossos corações e jamais esquecê-lo. Defendamos com ousadia a completa inspiração das Escrituras originais, em hebraico e grego. Creiamos que não apenas cada livro, mas todo capítulo, e não apenas cada capítulo, mas cada versículo, e não apenas cada versículo, mas cada palavra foi dada por inspiração divina. A inspiração, nunca deixemos de afirmá-lo, estende-se não somente aos pensamentos e idéias das Escrituras, mas também às mais simples palavras.

Este princípio, sem dúvida, tem sido severamente perseguido em nossos dias. Nenhum crente deve sentir-se desanimado por causa de tal perseguição.  Mantenhamos nossa posição e, com toda varonilidade, defendamos o principio da inspiração plenária das Escrituras, como se fosse a menina dos nossos olhos. Há dificuldades nas Escrituras, e não precisamos nos esquivar de admitir isso; existem passagens bíblicas difíceis de explicar, harmonizar e entender. Porém, em quase todas essas dificuldades, a falha (podemos afirmar com certeza) não está nas Escrituras e sim na imperfeição de nossas mentes. Em todos os casos, podemos esperar por adquirir maior compreensão e crer que, finalmente, tudo será esclarecido. Devemos estar certos de uma coisa: se as dificuldades da inspiração plenária das Escrituras são milhares, as dificuldades referentes a qualquer outro conceito de inspiração são dezenas de milhares. A atitude mais sábia a praticar é andar no velho caminho, da fé e da humildade, e dizer: “Não posso desprezar uma palavra sequer da Bíblia. Toda Escritura foi dada por inspiração divina. A Escritura não pode falhar”.

Livro Meditações no Evangelho de João, Editora Fiel. Texto base João 10:31-42, pág 134. 

*Grifos do autor deste blog 

Para mais artigos de J. C. Ryle, clique AQUI

Anúncios

Sobre Blog do Lino
Sou filho de Deus.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: